Artigo


Academia da beleza: saiba como exercitá-la

Quando falamos em beleza, logo pensamos num corpo escultural, numa pele macia e sem manchas, num rosto livre de marcas de expressão. Esquecemos, porém, que este conceito é muito mais do que estético.

Sabemos que existem vários tipos de beleza, que não se sustentam apenas no aspecto físico, mas que se embasam em outros atrativos, tais como a simpatia, o bom humor, o carisma, o encanto pessoal, a alegria de viver e que transformam o indivíduo num conjunto harmônico aos olhos daqueles com os quais convive.

O problema é: como atingir este estado de harmonia garantindo a expressão da beleza do ser em sua plenitude?

Em primeiro lugar, cumpre-nos lembrar que a beleza tem um aspecto importante que é o cuidar-se e este não implica apenas em tratar de nosso aspecto externo, mas também de nosso interno, ou seja, de nossas emoções, pois o nosso corpo nada mais é do que o reflexo de nossa alma.

Não importa se somos jovens ou velhos, mas se quisermos estar belos temos que aprender a construir a nossa beleza de dentro para fora e, nesta construção, uma boa dose de auto-estima e respeito aos nossos limites físicos e emocionais é necessário, pois a beleza não pode estar dissociada de saúde física e psíquica.

Sendo assim, sempre digo que para ressaltarmos a nossa beleza torna-se necessário, antes de tudo, procurarmos internamente o nosso próprio valor, o que só ocorre via autoconhecimento.

Mas, infelizmente, na vida real o que encontramos é justamente ao contrário. Afastadas de si mesmas cada vez mais, um número crescente de pessoas apresenta problemas de auto-aceitação, seja de seu corpo, de sua idade, do seu peso ou, no mais grave dos casos, de si mesmas como seres belos e merecedores de amor e respeito.

Confundem o estar belo procurando de forma doentia ajuda nos produtos de beleza, academias, cirurgias plásticas, drenagens para atingir o corpo perfeito vendido pela mídia, pelo ser belo, que é algo natural e não artificial. Esquecem que a beleza genuína estará sempre nos olhos de quem vê e no coração de quem sente, sendo o externo apenas um reflexo do que ocorre em seu mundo interior.

Por isso, somente quando você estiver em paz consigo mesmo, dotado de um equilíbrio emocional, sendo o que você é na verdade é que poderá irradiar esta harmonia para o mundo exterior conquistando a admiração de todos e de si mesmo.

É através desta beleza genuína, que nasce de seu interior, que você poderá se aceitar cada vez mais como é, sem a necessidade do uso de artifícios externos que, muitas vezes, apenas mascaram a infelicidade daquele que crê que o corpo pode esconder a feiúra e tristeza interna que reinam na alma.

Que tal, então, recorrer a academia das emoções, que podem reduzir seu peso, treinando seus neurotransmissores com bons pensamentos, fazendo o seu corpo funcionar harmonicamente? Ou ainda, treinar seus músculos com o sorriso, que transforma sua face tornando-o um ser belo e agradável? Por que não aceitar o envelhecimento como uma parte natural da vida colhendo dele as experiências e com sua atitude de bem-estar amenizar as marcas do tempo?

Somente aquele que prioriza os atributos da alma é que poderá atingir a beleza de forma natural e encantadora, independentemente da idade em que se encontra ou de sua aparência física exterior, pois a beleza é algo que transcende os atributos físicos de uma pessoa e, por assim ser, desperta o interesse mais genuíno de cada ser humano de maneira única e sincera.