Mensagem da Comunidade Cósmica | Série: O amor do Pai não tem limites – Artigo 4 de 5 – O amor de Deus Por nós

Prezados irmãos, bem-vindos à quarta e penúltima mensagem da série O Amor do Pai não tem Limites.
Hoje falaremos um pouco a respeito das manifestações do amor.

O Pai confiou-nos uma única premissa: amai-vos uns aos outros.

Ele não desejou que vivêssemos em um mundo repleto de amarguras, de ódio e de Ego. Ele apenas quis que vivêssemos o amor. E é esse amor a solução para todas as questões da vida. Mas, por mais que saibamos que o amor é uma das maiores manifestações de Deus na nossa vida, quantas situações são vivenciadas sem que esse mesmo amor que tanto se prega seja aplicado? Por mais que saibamos a causa e a solução para os problemas, por que insistimos tanto em não solucioná-las?

Vocês podem estar se perguntando o porquê de tudo isso. Por que Deus criou esse grande Cosmos, repleto de questões a se equilibrar e que se expande cada vez mais? Por que o Grande Criador teve a necessidade de dar vida a seres que até então nem mesmo existiam? Seria somente para satisfazer um capricho?

Não, meus amigos. Deus nunca, repito, nunca, faria algo simplesmente para satisfazer um capricho ou orgulho. Pois Deus não necessita disso. Deus simplesmente é a manifestação de si mesmo e independe de qualquer coisa. Porém, ele age conforme a necessidade de fazer-se sentir presente em cada canto no qual habita, mas não para satisfazer seus próprios anseios, mas para satisfazer os anseios de sua própria criação. Esta, categoria à qual representamos, na busca pela manifestação de Deus em nossas vidas e pela necessidade de sentir Sua presença, existe para viver o amor. Deus nos criou para vivermos o amor e sermos felizes no amor.

Ou seja, Deus criou o homem e tantos outros seres no Universo pela necessidade de fazer-se sentir. Pois Deus é amor. E com um amor tão grande, viu a necessidade de compartilhá-lo infinitamente, com liberdade. Suas manifestações visam atender os anseios de Sua criação. Nós, criaturas divinas e manifestas, não somos Deus, mas somos sua extensão, parte diminuta Dele, que está passando por experiências diversas de aperfeiçoamento para entendê-lo e então auxiliá-lo nessa grande obra celeste que é a expansão da Grande Consciência em pleno amor.

A partir do momento que nos distanciamos do amor de Deus por nós, carecemos desse amor e buscamos supri-lo em outros locais, com prazeres mundanos, e com a atenção de outros, para que nos amem.

Porém, a partir do momento em que nos permitirmos sentir o amor de Deus por nós e ouvirmos o nosso Eu interior, nos bastaremos. Então a busca pelo amor em outra pessoa cessará. Porque, repetimos, nos bastaremos. E esse entendimento, por mais surreal que possa parecer, é o único verdadeiro. E não é egoísta, pois temos a liberdade de melhor agir. De fazermos o que quisermos. Mas com uma única promessa: a de que se nos rendermos a esse amor de Deus, seremos verdadeiramente felizes e completos pela eternidade.

Deus nos concede o livre-arbítrio, justamente para que possamos entender que nossas ações não são limitadas, mas que apenas o amor basta e é suficiente para acalentar toda a dor, luta, egoísmo. Ele nos permite viver como bem entendermos. E nos possibilita sermos felizes à nossa maneira. Mas a todo instante nos diz: amem-se, pois só o amor é capaz de aplacar toda a dor, toda a necessidade de serem felizes dependendo de bens materiais, ou de outras pessoas. A felicidade é a partilha da sua própria felicidade com o próximo e de não depender da felicidade do próximo para ser feliz.

No momento em que compreendermos totalmente essa manifestação da vontade de Deus… no momento em que nos permitirmos esquecer toda a mágoa, ofensa e nos permitirmos amar incondicionalmente, então experimentaremos o total amor que Deus tem por nós e teremos uma eternidade de luz pele frente. Uma felicidade plena e eterna que não se apaga. Um amor incondicional que nenhum ser humano ou outro ser poderá ter por nós em seu sentido restrito, mas poderemos partilhar dessa felicidade e amor um com o outro pois a teremos intrínseca em nosso ser.

Imaginem-se vivenciando o amor de Deus em sua plenitude, despojado de toda e qualquer mácula. Esse é o amor de Deus. E é esse amor pleno que Deus está a compartilhar com todo aquele que se sentir pronto a se abrir para recebê-lo. Esse amor infinito que Deus está proporcionando e ampliando para ser sentido por inteligências individuais, que somos nós, capazes de amar a nós mesmos, aos outros e a Ele. Somos a manifestação do amor de Deus em partilha e comunhão.

Agora os convido a refletirem e a meditarem a respeito desta mensagem. Eu os convido a refletirem sobre esta grande revelação para muitos. Onde tudo está descortinado. E o grande véu que encobria seus sentidos, e que os impedia de ver a Verdade sobre o porquê da criação, foi-lhes agora revelado, e explicado.

Se ainda não compreenderem, reflitam e reflitam e reflitam de novo. Pois a cada necessidade de reflexão, significa que ainda não compreenderam e que não estão preparados. Apenas sintam. Sutilizem-se. Despojem-se do manto da inveja, egoísmo e mesquinhez. Racionalizamos demais e sentimos pouco. Avancem, evoluam e Ascendam para o verdadeiro amor.

Autor: Comunidade Cósmica
Local e Data: São Paulo, 06/09/2016
Canal: Fernando

     

Inscreva-se em nossa Newsletter e receba as novidades do site em seu e-mail. Além de ser informado de novos artigos, jogos interativos, lançamento de cursos e outras novidades, você ainda receberá todo mês uma Promoção Exclusiva do site!

 

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Conteúdo Autoral. Compartilhe o Link do Artigo.