A Homeopatia e o Mesmerismo

O mesmerismo, também chamado de magnetismo animal, é sugerido por Samuel Hahnemann – como auxiliar valioso ao tratamento homeopático – devendo ser utilizado por todos os homeopatas durante as consultas. Tal orientação encontra-se presente no livro Organon da Arte de Curar, parágrafo 288, escrito pelo pai da homeopatia – Hahnemann.

“…Essa força curativa, muitas vezes intensamente negada e difamada ao longo de um século inteiro, esse maravilhoso e inestimável presente com que Deus agraciou o Homem, mediante o qual, através da poderosa vontade de uma pessoa bem intencionada sobre um doente, por contato ou, mesmo sem ele e mesmo uma certa distância, a força vital do mesmerizador sadio, dotado com essa força, aflui dinamicamente para um outro indivíduo, agindo de diversas maneiras: enquanto substitui no doente a força vital deficiente em vários pontos de seu organismo, em outros, onde a força vital se acumulou em demasia, causando e mantendo indescritíveis padecimentos nervosos, desvia-a, suavizando-a, distribuindo-a equitativamente, extinguindo principalmente o distúrbio mórbido do princípio vital do doente e substituindo pela força vital normal do mesmerizador que age poderosamente sobre ele, por ex., velhas úlceras, amaurose, paralisias parciais etc. Muitas curas rápidas aparentes realizadas por magnetizadores animais de todos os tempos dotados de grande força natural pertencem a essa categoria…”(Organon da arte de curar – parágrafo 288)

Hahnemann relata que o mesmerista com conduta filantrópica e abnegada – não somente – dirige a força de sua bondade predominante exclusivamente ao paciente carente de sua ajuda, mas também concentra-a, operando assim aparentes milagres.

Naturalmente por vivenciarmos o ápice do materialismo em nosso mundo atual – tal terapêutica não é utilizada como a vontade e sugestão da ciência homeopática. Mas, os poucos homeopatas que associam o magnetismo animal ao tratamento medicamentoso – observam como já relatado por Hahnemann, aparentes milagres. Dizemos as curas que a medicina convencional não previa por seus métodos – e até mesmo, resultados mais rápidos e eficazes dos tratamentos homeopáticos.

O mesmerismo age reorganizando o organismo físico e espiritual, é como se limpa-se o campo – retirando as pedras, espinhos e preparando a terra – para receber a semente (o medicamento homeopático) que irá germinar e florescer, dando frutos abençoados de saúde e paz.

A imposição das mãos, como método de cura, deixando fluir a luz e o amor que brotam do coração acrescida de forças da natureza e dos espíritos – já era usada desde época de Jesus. O Mestre por excelência curava os doentes através da imposição das mãos. Deste tempo em diante, surgiram inúmeros métodos respeitáveis  de tratamento através da mãos – tais como Reiki; Johrei; Passe Espírita; entre outras.

Se você é paciente da terapêutica homeopata – procure associar algum método já citado acima, e verificará uma grande mudança em todo seu estado físico, mental, emocional e espiritual.

Para elucidar o efeito da homeopatia e o magnetismo animal – nas obsessões, incluímos uma parte do item 251 do Livros dos Médiuns.

“…Só podemos dar aqui alguns conselhos gerais, porque não existe nenhum processo material e, principalmente, nenhuma fórmula ou palavra sacramental que tenha o poder de expulsar os Espíritos obsessores. Às vezes, o que falta ao obsidiado é força fluídica suficiente. Nesse caso, a ação magnética de um bom magnetizador lhe pode ser de grande utilidade. Contudo, é sempre conveniente procurar, por um médium de confiança, os conselhos de um Espírito superior ou do seu anjo da guarda.” (Livro dos Médiuns – item 251)

Qualquer dúvida ou sugestão – entre em contato. Um grande abraço. Whatsapp: (19) 99531-7575

Inscreva-se em nossa Newsletter e receba as novidades do site em seu e-mail. Além de ser informado de novos artigos, jogos interativos, lançamento de cursos e outras novidades, você ainda receberá todo mês uma Promoção Exclusiva do site!


Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *